https://www.facebook.com/ http://pensador.uol.com.br/colecao/masgalos/

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

O ARREPENDIMENTO

 
No Evangelho em Lucas 23:39-43, falando do “bom ladrão”, um dos malfeitores suspensos à cruz o insultava, dizendo: “Não és tu o Cristo? Salva-te a ti mesmo e a nós”. Mas o outro, tomando a palavra, o repreendia: “Nem sequer temes a Deus, estando na mesma condenação? Quanto a nós, é de justiça: estamos pagando por nossos atos; mas ele não fez nenhum mal”. E acrescentou: “Jesus, lembra-te de mim, quando vieres com teu reino”. Ele respondeu: “Em verdade, eu te digo, hoje estará comigo no Paraíso”.

Não é útil “o somente arrepender-se” dos atos errados que fizemos até agora. É necessário refazer o caminho para acertar daqui para frente.

Muitos de nós dizemos: eu errei, estou arrependido, muitas vezes até pedimos perdão a Deus, só que as coisas ficam por aí mesmo, não fazemos mais nada.

Na Lei Universal de Deus, as coisas não podem ser dessa maneira, pois, como dizem os Espíritos superiores a Allan Kardec, em “O Livro dos Espíritos, q. 999”. “O arrependimento auxilia a melhora do Espírito, porém, o erro deve ser expiado”.

 “Naquela hora de sacrifício culminante, o "bom ladrão" rendeu-se incondicionalmente a Jesus-Cristo. O leitor do Evangelho não se informa, com respeito aos porfiados trabalhos e às responsabilidades novas que lhe pesariam nos ombros, de modo a cimentar a união com o Salvador, todavia, convence-se de que daquele momento em diante o ex-malfeitor penetrará o céu.”  

O “bom ladrão” entendeu as lições de Jesus, as responsabilidades que lhe pesariam nos ombros, de modo que deveria refazer o caminho para vencer seus maus pendores, foi assim que ele compreendeu as palavras de Jesus, e com isso sentiu ânimo, confiança no futuro para mudar. Aquilo que poderia ser sofrimento para si, tornou-se esperança, e Jesus compreendendo esse novo estado de ânimo nele, e vendo paz em sua alma, o levou a dizer, “hoje estarás comigo no Paraíso”.

Daquela hora em diante, o “bom ladrão”, ao invés, de pensar em somente tirar as coisas dos seus semelhantes, iria agir diferente, numa maneira de refazer o seu passado delituoso, doando ao mundo os seus esforços de reconstrução.
 
  Deus também nos oferece todas as ferramentas necessárias para refazermos o caminho, e buscarmos a nossa felicidade.