https://www.facebook.com/ http://pensador.uol.com.br/colecao/masgalos/

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

A prece é sempre agradável a Deus, quando ditada pelo coração,

Pela prece dirigida à Deus podemos fazer três coisas: louvar, pedir e agradecer.
 
A prece é sempre agradável a Deus, quando ditada pelo coração,
 
A intenção é tudo. A sinceridade e a humildade são as chaves. 
 
Pela prece podemos elevar a alma, entrar em comunhão com Deus, nos identificar com o mundo espiritual, e sair pelo pensamento  do mundo material agitado, emancipando nossa alma para buscar ânimo e disposição para prosseguir adiante na vida, cujo compromissos assumidos, temos que cumprir.
 
A prece nos torna melhores quando oramos com disposição e confiança, fazendo-nos mais forte contra as tentações que poderão nos trazer situações desagradáveis ou diante das dificuldades da vida onde a prece pode nos oferecer a calma e a serenidade necessárias para as enfrentarmos.
 
Muita vezes costumamos orar como se fosse um ritual, mas o rito é uma forma, enquanto a prece espontânea, aquela que sai naturalmente do fundo do coração não tem rito, é um diálogo sincero, que flui de forma natural, com Deus ou com aquele a quem desejamos nos dirigir.
 
Quando oramos a Deus com disposição e confiança, com boa intenção e sinceridade Ele nos envia bons Espíritos para nos assistir. É um socorro jamais recusado, quando Lhe pedimos com sinceridade.
 
O essencial não é orar muito, mas orar bem,  pois não é pela multiplicidade das palavras que seremos ouvido, mas pela sinceridade com que fazemos a prece.
 
A prece não oculta nossas faltas. Quando pedimos a Deus o perdão de nossas faltas só o obteremos se mudarmos nossa conduta para melhor. Para isso, é necessário o estudo de nós mesmos (autoconhecimento), precisamos nos conhecer para melhorarmos naqueles pontos em que estamos errando Só assim poderemos fazer jus ao perdão divino.