https://www.facebook.com/ http://pensador.uol.com.br/colecao/masgalos/

terça-feira, 14 de outubro de 2014

Quanto mais eu oro, mais dificuldades me aparecem!

Acontece que quanto mais atentos ficamos mais sensíveis; e quanto mais sensíveis, mais claro tudo vai ficando, inclusive as pedras e obstáculos do nosso próprio caminho. Se antes não víamos, agora vemos! Não é que as dificuldades aumentam, mas agora tu as discernes, consegues ver o que antes não vias e isso é bom!
Uma vida de absolutas facilidades, com caminhos plenamente estáveis, cauterizaria a nossa consciência. Conseguir ver os teus limites, lidar com as tuas fraquezas e... superá-las, é parte essencial do caminho de qualquer um que almeja a maturidade.
Ninguém cresce se não encarar os seus próprios fantasmas. Não há enraizamento de consciência sem confrontar-se, sem a oportunidade de passar pelos afunilamentos que nos melhora justamente por conta do exercício da experiência, pela chance de vencer um obstáculo e tornar-se uma pessoa melhor.
Se sentes que as “assombrações” aumentam na medida em que oras, ou que as dificuldades se aprofundam enquanto meditas, ou que tudo parece ficar mais difícil enquanto intimamente tens evoluído, prossegue com felicidade e atenção.
Faz parte do caminho. Não estamos em busca de facilidades, mas de maturidade e a maturidade se constrói com o desenvolvimento da nossa capacidade de superar dificuldades, sair mais forte na outra ponta, não temer as “assombrações”, mas enfrentá-las e vencê-las.
É consciência que queremos e se há necessidade de desconstruções, de encarar ajustes na maneira de enxergar, repito, prossegue com felicidade e atenção.
Afinal, não é que as coisas pioraram, simplesmente agora tu as vês!
O que farás com isso é escolha tua.
Texto de Flávio Siqueira